quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Lençóis Maranhenses 2011 - Segunda 15/8

Essa segunda foi demais, amanheci bem melhor da gripe que atrapalhou meu feriadão; logo após tomar o café dei uma volta pela praia do calhau e pela avenida litorânea e depois retornamos pra pousada onde fechamos a diária e buscamos informações sobre o horário da saída do ferry boat, bem como do trajeto até lá.
bem já estavamos quase atrasados, pegamos as motocas e caimos na estrada, tivemos que desviar o percurso por causa de uma obra que estava sendo executada, fomos seguindo as placas de sinalização (ponto pra São Luiz tudo as ruas são bem sinalizadas), e logo estavamos chegando ao porto onde estava o ferry boat, pagamos a taxa de embarque e vu-a -lá, lá estavamos tirando umas fotos pra posteridade do ferry boat e da orla do cais.
No ferry tinham uns caras com coletes do araras Mc de ananindeua, nos viram chegar e embarcar, não falaram conosco, tb não damos "moral".
No ferry tomamos um guaraná Jesus e logo estavamos no porto de desembarque, saimos logo na primeira oportunidade e erramos a saída do porto, retornamos e pegamos a estrada que até certo ponto tava muito boa, depois apareceram os buracos e foi assim até o retorno a Br 316 em governador Nunes Freire onde almoçamos numa churrascsria.
nesse trecho da viagem, várias paisagens ficaram marcadas em minha memória:
- os campos de várzea com búfalos proximo de santa teresa e a tipica paisagem maranhense com muitas palmeiras de babaçú a perder de vista que em alguns momentos, compunham um cenário que várias vezes pensei em parar a moto pra registrar, mas não o fiz.
De governador Nunes Freire, paramos no posto pombal da divisa, onde abastecemos as motocas e pra minha surpresa minha moto tava fazendo as mesmas médias de consumo da lander do Diego.
mais asfalto, chegamos a santa Luzia, onde debaixo de um sol escaldante paramos pra tomar uma água? não uma coca-cola bem gelada ;)
de lá restavam poucos kms até em casa, aproveitamos um pouco o entardecer com o fundo musical dos motores de 250 cc e o assovio intermitente do vento e logo estava, nos portais de castanhal.
Despedi do diego e cheguei em casa, mais uma viagem concluída com a graça de Deus.

fts do dia:

















Sempre que comento com alguém sobre essa viagem, depois da surpresa e de ser chamado de louco e outros adjetivos correlatos, vem aquela famosa frase "tá podendo hein", como se uma viagem dessa fosse algo somente para endinheirados; tsc tsc tsc.
ledo engano, com um cartão de crédito pra pendurar algumas coisas dá pra se ir de boa..., sem falar no fato que de moto vc economiza em muitas coisas, sem falar que vc é que define o roteiro, ao contrário dos pacotes de viagem que já vem fechados e formatados.abaixo gráfico com demonstrativo dos gastos da viagem.








segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Lençóis Maranhenses 2011 - Domingo 14/8

Seguindo a programação domingo havíamos programado fazer o passeio de 4x4 nos grandes lençóis; como de costume tomamos um café reforçado e ficamos de bobeira esperando a toyota chegar; O diego resolveu tomar um banho no rio preguiças, que passa perto da pousada, lá na margem encontro o halim e Erly e seu filho junto com seus familiares. Após um bate-papo de motociclista, resolvemos tomar um banho e acompanhar o diego.
Depois retornamos pra pousada onde a toyota já nos aguardava, saimos em direção à agencia, onde mais passageiros embarcaram sendo que a lotação final ficou em torno de 11 pessoas fora o motorista e o nelson (guia turístico).
Depois de levar o pessoal pra um mercadinho proximo pra compra de água mineral e bobagens, a toyota foi para um local onde se atravessa o rio preguiças de balsa para a outra margem, onde se pega a trilha dos lençóis; o percurso da balsa até as dunas é um pouco hard pra quem não tá acostumado com off road, tinha horas q a toyota pulava tanto q pensava q tava em cima de um burro chucro. teve alguns trechos de atoleiros, areião mas o hábil motorista encarou tudo sob os aplausos do grupo. sem demora chegamos as dunas, onde o guia passou algumas intruçoes e sem cerimonia colocou todo mundo em fila indiana pra encarar as dunas até as lagoas, cada uma mais linda que a outra.
fomos apenas em 04, a lagoa azul, a esmeralda, a do peixe e etcc...
um visual de cinema, segundo o guia algumas produçoes nacionais foram rodadas nas dunas dos lençóis maranhenses, como a novela o clone da rede globo e outros.
fotos do domingo:



























Como vida de mototurista não é facil, só chegamos do passeio, tomamos um banho e acabamos de arrumar as coisas e já pegamos as motocas rumo à São Luiz, pra segunda bem cedo pegar o ferry boat e retornar pra casa.
Nos despedimos do halim e Erly e pegamos a estrada, que até bacabeira estava uma beleza, um pouco movimentada por ser domingo a tarde e muita gente voltando pra capital; fizemos quase ou nenhuma foto nesse trecho; quando pegamos a Ma pra São Luiz a bagaça começou a estrada muito ruim e muitos carros e caminhões além de uns motoqueiros malucos q insistiam em querer nos acompanhar; chegamos á noite em São Luiz depois de muitas ultrapassagens e pilotagem cautelosa.
Ficamos surpresos com a fluidez e velocidade do transito de São Luiz, em plenas avenidas nossos ponteiros indicavam 90 km/h pq acompanhavamos o ritmo dos carros;
Ficamos um pouco perdidos, só sabiamos q tinhamos q ir pra praia do calhau, paramos em um posto onde pedimos informações pra 02 rapazes numa titan, e fomos confundidos com uma turma q estava em um motoencontro (Moto Ilha), logo apareceu um brother num gol que se ofereceu pra nos levar até o local do evento, seguimos o carro, mas qdo chegamos o evento já tinha encerrado, pedimos informações sobre hotéis e pousadas, ele nos levou até um hotel mas tava lotado, o diego se informou o rumo da praia do calhau; depois de mais uns 3 ou 4 tentativas em locais diferentes, decidimos ir pra praia do calhau e de cara vimos uma pousada, fui ver o preço tava na faixa verde pra amarela, 50 por cabeça, quarto duplo com ar e café da manhã.
depois de desarrumar as tralhas e tomar um banho, fomos comer alguma coisa, optamos por um sanduíche; a orla tava muito movimentada, muitos bares lotados com música ao vivo e muita animação. pena que estavamos quebrados de tanto cansaço :( senão iamos mariscar um pouco...

Fotos da Tarde



Vídeo da saida de barreirinhas



continua...






quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Lençóis Maranhenses 2011 - Sábado 13/8

Bom já em barreirinhas e descansado da trip, era hora de arrumar a mochila pra pegar a toyota que vinha nos apanhar pra levar pro ponto onde as voadeiras estavam aguardando; mas antes um bom e reforçado café da manhã.






prontos e forrados vamos conhecer os pequenos lençóis de voadeira, passeio pela orla de barreirinha.







chegada a ilha dos macacos vassoura com muitas dunas altas e boas pra esquibunda, lá tinham muitos macacos que faziam a festa dos turistas e haviam outros animais tb. descansamos um pouco num barracão e tomamos um guaraná jesus.












De lá fomos pra uma comunidade chamada Mandacarú, um fato me chamou a atenção haviam várias crianças se oferecendo pra ser guias turisticos, logo na entrada uma barraca simples onde se vendia batida de cajú, seguimos por uma vielazinha até a entrada do farol, antes tomamos sorvete pra matar um pouco o calor já eram 11:00 ou mais. subi no farol, qdo cheguei lá a musculatura da coxa tava dolorida de tanto subir degrau, bati umas fts e desci pra encontrar o diego que não subiu no farol.




















Saindo de Mandacaru fomos pra praia de Caburé, onde teoricamente era pra almoçar, mas fomos direto pra praia e ficamos por lá até umas 2 da tarde, depois paramos num restaurante onde só por curiosidade pedimos o menu e a surpresa quase 60,00 reais a refeição de peixe sendo que a carne de sol saia pela metade do preço, uns 35,00. ainda bem q minha mochila tava cheia de barra de cereais pedimos um refri e pronto, afinal já tinha passado da hora de almoçar mesmo.





No retorno pra barreirinhas, o tripulante da voadeira fez uma rota diferente e pegou um atalho por dentro do mangue, e logo chegamos à cidade;



chegando do passeio, na pousada ao lado haviam duas motos, uma lander e uma teneré, olhei para uma sombra do outro lado tinha um sr. arrumando umas bolsas, bati papo com ele e começamos a conversar, logo chega seu parceiro e se apresentaram, o halim e o erly, estavam vindo do jalapão e haviam cruzado com os milhouses e a cacá que estão indu à transamazonica. combinamos de ir pra orla mais tarde tomar umas cervas e jogar um papo furado. o diego foi logo olhar a teneré e achou legal uma tomada para gps e a moto no geral. eles tb estavam no motocapital.








Já na pousada, depois do banho foi hora de consertar a tornado, pra minha surpresa, como a cagada nunca vem desacompanhada, a porcaria do parafuso da balança onde entra a porca e a contraporca estava bichado, solução: mandar soldar, lá vai eu na lander do diego atrás de uma metalurgica as 5 da tarde de sábado, achei uma mas o figura não era o "profissa", tentou soldar mas não prestou, já tava pensando num plano B, qdo o dono chega e rapidamente solda o parafuso no suporte, voltei e coloquei a peça na moto, ficou um pouco torto a tampa direita, mas o importante é que corrente estava ajustada e as tampas com os parafusos td blza.



à noite fomos comer uma pizza e tomar umas, afinal ninguém e de ferro.